SisTHA
Sistema de Treinamento das Habilidades Auditivas
sistha.com.br
Usuário
Senha
» Criar cadastro
Grau da perda auditiva  
Esse conteúdo foi útil?
Sim   Não
Entre ouvir bem e não ouvir há graus diferentes de perda auditiva.
Sim, existem graus diferentes de perda auditiva!

Você já fez algum exame auditivo? O mais conhecido é a audiometria que é um exame que verifica o mínimo que você escuta. Durante esse exame você ouve alguns apitos agudos e graves, altos e baixos, até o fonoaudiólogo encontrar o limiar auditivo. (ver Exame Auditivo)

Quando o fonoaudiólogo termina de realizar esse exame é possível relatar se a pessoa tem ou não perda auditiva indicando que a perda apresentada é leve (escuta pouco menos que o normal), moderada (escuta mais ou mesmos), severa (tem muita dificuldade para ouvir) ou profunda (não consegue ouvir praticamente nada).

As figuras abaixo mostram a frequência dos sons e uma curva que indica onde se encontra a capacidade auditiva de pessoas com diferentes graus da perda auditiva (leve, moderada, severa e profunda). Observe de uma figura para outra a diferença com que as curvas características da audição de uma pessoa varia (linhas vermelha e azul). Vale ressaltar que a mesma pessoa pode ter grau de perda auditiva diferente em cada orelha. Ou na mesma orelha pode ter dois graus, por exemplo, leve e severa.

Audição Normal

É considerado um grau de capacidade auditiva como normal quando a pessoa ouve tudo e não apresenta queixas auditivas.

Na figura esse caso está ilustrado com a curva de audição (linhas azul e vermelha) situada na região sem perda em toda a faixa de frequencias (250Hz a 8KHz).


Imagem retirada da tese de livre docência "Telessaúde: intercambio técnico cientifico entre centros de atendimento ao deficiente auditivo". Blasca WQ (2012).
Perda Auditiva Leve

É considerada perda auditiva leve quando a pessoa apresenta dificuldade em ouvir sons baixos (fracos) e compreender a fala em lugares barulhentos.

Na figura esse caso está representado por meio de uma curva de audição apresentando dificuldades nos sons da fala e sons baixos (região em cinza).


Imagem retirada da tese de livre docência "Telessaúde: intercambio técnico cientifico entre centros de atendimento ao deficiente auditivo". Blasca WQ (2012).
Perda Auditiva Moderada

É considerada uma perda auditiva moderada quando a pessoa apresenta dificuldade para ouvir sons baixos (fracos) e moderadamente altos (fortes). Compreender a fala é muito difícil quando tem barulho.

Na figura esse caso está representado por meio de uma curva de audição apresentando dificuldades nos sons de volume moderado (região em cinza e por exemplo som de uma enceradeira).


Imagem retirada da tese de livre docência "Telessaúde: intercambio técnico cientifico entre centros de atendimento ao deficiente auditivo". Blasca WQ (2012).
Perda Auditiva Severa

É considerada uma perda auditiva severa quando a pessoa apenas consegue compreender a fala de uma outra pessoa quando está com um alto volume. Apresenta muita dificuldade para conversar em grupo.

Na figura esse caso está representado por meio de uma curva de audição apresentando dificuldades nos sons de volume mais intensos, como o latido de cachorro, som de piano e toque de celular.


Imagem retirada da tese de livre docência "Telessaúde: intercambio técnico cientifico entre centros de atendimento ao deficiente auditivo". Blasca WQ (2012).
Perda Auditiva Profunda

É considerada uma perda auditiva profunda quando a pessoa apresenta muita dificuldade para ouvir, mesmo sons muito altos (fortes), e quando não consegue ouvir sem o aparelho auditivo.

Na figura esse caso está representado por meio de uma curva de audição apresentando dificuldades nos sons de volume mais intensos ainda, como o barulho de caminhão, instrumentos musicais eletrificados, motores e helicópteros.


Imagem retirada da tese de livre docência "Telessaúde: intercambio técnico cientifico entre centros de atendimento ao deficiente auditivo". Blasca WQ (2012).



O conteúdo dessa página web foi atualizado em 09/05/2014.
Responsável técnico: Simone Virginia Vitti, fonoaudióloga.
» Voltar para a página inicial


© 2014 SisTHA Sistema de Treinamento das Habilidades Auditivas. UNIFESP, USP. Acesso em 17/12/2017 às 15:32 @ Windows/200.144.93.238. Visitas #1854.
Grupo de Pesquisa
Saude 360o
saude360.com.br
Pós-graduação
UNIFESP Escola Paulista de Medicina
Gestão e Informática em Saúde
Coparticipação

Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais
Apoio Financeiro
    
FAPESP 2012/05410-0    Universal 480905/2011-8